RS mantém monitoramento após casos na América Latina

A Secretaria da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (Seapi) informou, nesta quinta-feira (16), que mantém vigilância diante dos casos de influenza aviária de alta patogenicidade (IAAP, com vírus de subtipo predominante H5N1) anunciados nesta quarta-feira (15) na Argentina e no Uruguai. “A Seapi está mobilizada e monitorando atentamente as notificações de casos na América do Sul”, divulgou, em nota, ao reforçar que nunca houve detecção da doença em território brasileiro. Além disso, a Seapi lembra que as ações de vigilância já foram reforçadas quando os primeiros casos da doença começaram a aparecer na América do Sul, no ano passado. 

“O Serviço Veterinário Oficial (SVO), que engloba representantes do Ministério da Agricultura e órgão estaduais, atua em atividades de vigilância e mitigação de riscos para comprovar a ausência de circulação viral através do atendimento e investigação de todas notificações recebidas em aves, seja na avicultura industrial como nas criações de subsistência e em aves silvestres de vida livre”, diz a nota.

Veja Também

A Seapi também já divulgou medidas preventidas a serem tomadas por criadores e população em geral. Se observada qualquer ave com sintomas, deve-se notificar às autoridades sanitárias. Os sintomas são:


  • Tosse;
  • Espirro;
  • Secreção nasal;
  • Penas arrepiadas;
  • Inapetência;
  • Queda de postura;
  • Prostação;
  • Morte súbita sem sinais;
  • Sinais nervosos.

A Seapi recomenda as seguintes medidas:

  • Telas dos galpões e passarinheiras íntegras para que evitem a entrada de pássaros;
  • Corrigir falhas de vedação nos galpões;
  • Remoção de ninhos de pássaros nos telhados e de entulhos no entorno dos galpões que possam servir de abrigo para roedores;
  • Veículos devem ser desinfetados antes da entrada e na saída das granjas;
  • Controle rigoroso do trânsito de veículos e pessoas. Não permitir a entrada de pessoas que não fazem parte do processo de produção;
  • Manter registro de entrada de pessoas e veículos;
  • Utilização de roupas e calçados exclusivos dentro dos aviários;
  • Pessoas que trabalham nas granjas devem evitar ao máximo o contato com outras aves;
  • Controle permanente de roedores;
  • Proteger fontes de água e caixas d’água



Fonte

One thought on “RS mantém monitoramento após casos na América Latina

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *