Campanha alerta sobre os riscos do mergulho em águas rasas | …

Rodinei Crescêncio/Rdnews

Colunista Fellipe Valle

Periodicamente a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) e a Sociedade Brasileira de Coluna (SBC) lançam uma campanha que alerta sobre os perigos de mergulhar em águas desconhecidas. O tema é pertinente, pois o mergulho em água rasa é quarta causa de lesão medular no Brasil.

A maioria das lesões acontece em jovens na faixa etária de 10 a 30 anos e geralmente são localizadas na coluna cervical. As lesões podem variar desde traumas musculares como contraturas que podem cicatrizar de forma mais precoce até lesões e fraturas associadas a deslocamentos das vértebras. Podem cursar com alterações neurológicas causando perda de sensibilidade e da força muscular, podendo atingir os quatro membros do paciente.

Causas dos acidentes

No Brasil, existe uma imensa quantidade de rios, praias e cachoeiras e é nos meses de férias escolares (como julho e janeiro), que o número de acidentes aumenta e a causa pode estar associada com o modo como as pessoas entram na água.

Por isso, a SBOT e a SBC orientam que é necessário prudência e atenção ao entrar em águas desconhecidas. Sempre fazer o reconhecimento da região para saber a profundidade e se existem pedras nas proximidades de onde quer saltar.

Dicas:

  • – Não mergulhe em águas turvas ou desconhecidas;
    – Não mergulhe após ingerir bebida alcoólica ou outras substâncias que atrapalhem os reflexos;
    – Evite empurrar os amigos para dentro da água;
    – E cuidado ao tentar ajudar uma pessoa que sofreu este tipo de lesão: caso queira que ela mexa a cabeça poderá piorar a lesão. O mais importante é imobilizar e chamar ajuda médica para adequada avaliação.
  •  

Deve-se ter muito cuidado ao querer ajudar neste momento, pois uma manipulação realizada de forma incorreta pode piorar a lesão. A vítima deve ser salva e levada para fora da água para prevenir o afogamento e aguardar a chegada da equipe médica especializada no atendimento de emergências.

Peça ajuda se presenciar um evento semelhante. No hospital, os médicos especializados irão avaliar e recomendar o melhor tratamento. Em casos leves, colares podem ser indicados e em situações mais graves a cirurgia pode ser a única solução. Cuidado e previna-se: a lesão na medula afeta os movimentos e a sensibilidade dos membros, podendo ter um final drástico.

Consequências que o mergulho em águas rasas pode causar:

  • – Paralisia de pernas e braços
    – Danos para coluna vertebral
    – Lesões como fratura e luxação
    – Problemas neurológicos
    – Trauma de crânio
    – Fratura nas mãos, pés

 

Fellipe Valle é médico ortopedista e traumatologista, com especialização em cirurgia de ombro e cotovelo, cirurgia do joelho, especializando em medicina da dor e ortopedia regenerativa, além de idealizador do programa Descomplicando a Ortopedia. Ele é membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – MT, da American Academy of Orthopaedic Surgeons e da AO Trauma Latin America. É sócio fundador da associação brasileira de ultrassonografia músculo esquelética, professor de medicina na Univag e da residência de ortopedia Unic-Hgu. Escreve com exclusividade para esta coluna às terças. E-mail: fellipevalle@hotmail.com. Instagram: @dr.fellipe.



Fonte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *